METEOROLOGIA: SEMANA COM OSCILAÇÕES DE TEMPO FIRME E CHUVAS FORTES EM SANTA CATARINA

Depois das chuvas do final de semana em Santa Catarina, atingindo principalmente a cidade de Rio do Sul, região do Alto Vale do Itajaí, onde os alagamentos obrigaram o isolamento, em abrigos especiais, de mais de mil famílias, a previsão da meteorologia indica que o tempo firme no estado, registrado hoje, vai seguir até quinta feira.

Boletim do serviço meteorológico da Secretaria de Estado da Proteção e Defesa Civil, o estabelecimento de uma massa de ar fria mantém o tempo ensolarado, com pouca variação de nebulosidade, manhãs frias e tardes amenas vão prosseguir até quinta feira, quando o processo de formação de uma frente fria começa a mudar as condições do tempo. Já na parte da manhã, os ventos ganham força do Grande Oeste ao Planalto Sul, devido ao processo de formação da frente fria. São esperados ventos de norte a noroeste, com velocidades médias por volta de 30 km/h e rajadas entre 50 km/h e 70 km/h. Assim, nestas áreas existe risco para destelhamentos, queda de galhos e árvores e danos na rede elétrica.

No final da noite de quinta-feira, podem ocorrer temporais e chuva intensa nas áreas mais próximas do estado do Rio Grande do Sul, em especial no Grande Oeste e estes temporais avançam rapidamente para as demais regiões catarinenses.

Entre a madrugada e manhã de sexta-feira, o sistema deve atingir as regiões do Meio-Oeste e Planalto, avançando para o Litoral até o início da tarde. Devido a intensidade das chuvas, são esperados alagamentos e enxurradas, sendo o risco maior na região do Grande Oeste e Planalto Sul. A sexta-feira termina com a entrada de mais uma massa de ar seca e fria na região, com queda acentuada das temperaturas e sensação de frio.

Este sistema também provoca ventos fortes no decorrer da sexta-feira, mesmo após o enfraquecimento das chuvas. Nas áreas litorâneas entre o Litoral Sul e a Grande Florianópolis os ventos sopram de sudoeste, com velocidades médias por volta de 30 km/h e rajadas entre 50 e 70 km/h. Como resultado, também se espera agitação marítima, com ondas de até 3,0 m, risco de ressaca e alagamentos costeiros, devido à elevação da maré. Existe risco para atividades de navegação e pesca, esportes náuticos e também para erosão costeira.

Parceiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome