COMERCIALIZAÇÃO E CONSUMO DE OSTRAS E MEXILHÕES ESTÃO PROIBIDOS NO LITORAL DE SANTA CATARINA

A comercialização, retirada e consumo de ostras e mexilhões produzidos e cultivados nas praias de Bombinhas, Governador Celso Ramos, Florianópolis, São José e Palhoça, estão interditadas segundo relatório técnico da Cidasc.
Conforme os laudos de inspeção sanitária, foram identificados níveis acima do limite previsto na legislação para a Ficotoxina Ácido Okadaico (toxinas que provocam Síndrome ou Envenenamento Diarreico por Moluscos no ser humano).

Nas comunidades de Zimbros e Canto Grande – no município de Bombinhas e nas praias do Forte e Sambaqui – em Florianópolis, a interdição temporária já estava em vigor desde o dia 22. Agora, as interdições alcançaram os sítios produtores das praias da Fazenda da Armação em Governador Celso Ramos, Caieira da Barra do Sul e Taperinha – Florianópolis; Ponta de Baixo, em São José e Barra do Aririu, Enseada do Brito, Maciambu e Ponta do Papagaio, em Palhoça.

Quando consumida por seres humanos, essa toxina pode ocasionar náuseas, dores abdominais, vômitos e diarreia. Os restaurantes e consumidores devem atentar para adquirirem moluscos bivalves com Serviço de Inspeção Oficial (SIM, SIE, SIF), garantindo assim a procedência e inocuidade destes produtos. As instituições públicas responsáveis pela fiscalização sanitária do comércio, inspeção de produtos de origem animal, pesquisa e extensão e diagnóstico foram comunicadas para que tomem as providências pertinentes as suas áreas de atuação.

A Cidasc fará novas coletas para o monitoramento das áreas de produção de moluscos bivalves. Conforme os resultados dessas análises será definida a liberação ou a manutenção da interdição das áreas afetadas.

SINTOMAS E TRATAMENTO

Em caso de sintomas, a orientação aos consumidores desses produtos é que procurem atendimento na unidade de saúde mais próxima e realizem a notificação a Vigilância Epidemiológica ou Vigilância Sanitária municipal.
Monitoramento constante

Santa Catarina é o maior produtor nacional de moluscos e realiza o monitoramento permanente das áreas de cultivo de moluscos bivalves. O Programa Estadual de Controle Higiênico Sanitário de Moluscos Bivalves é um dos procedimentos de gestão e controle sanitário da cadeia produtiva, permitindo maior segurança para os produtores e consumidores.

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome