AUMENTA PENA PARA QUEM MALTRATAR ANIMAIS DOMÉSTICOS E SILVESTRES

Em Florianópolis, a Prefeitura mantém órgão para recolhimento e tratamento de animais maltratados e abandonados

Um a quatro anos de prisão. Essa, a punição para quem causar maus tratos, ferir ou mutilar animais. A decisão consta de projeto aprovado hoje pela Câmara dos Deputados e amplia ainda o tempo de cadeia em um ano para casos de zoofilia, ou seja, assédio ou violência sexual ou se o animal morrer.
A pena vai prevalecer para atos contra animais silvestres, domésticos, nativos ou exóticos.

NA CAPITAL, PREFEITURA FAZ ACOLHIMENTO

Em Florianópolis, a prefeitura criou neste ano a DIBEA, Diretoria do Bem Estar Animal que recolhe e abriga para tratamento os animais em situação de rua, doentes e atropelados; vítimas de maus-tratos e oriundos de denúncias realizadas por meio de boletim de ocorrência.

A Dibea conta com carros para transporte dos animais e uma clínica para realização de cirurgias exames. Depois de tratados os animais podem ser adotados. Hoje, inclusive, o prefeito Gean Loureiro entregou mais dois veículos para o transporte dos pets.

A reação pública tomou força depois que maus tratos mataram uma cadela que vivia nos arredores de um supermercado em São Paulo. O agressor, um vigilante do estabelecimento, teve a prisão preventiva decretada pela justiça.

Só em São Paulo, por dia, a polícia recebe 21 denúncias de violência contra animais domésticos e os crimes mais comuns são agressões, principalmente com chutes, porretadas, prisão em cativeiro sem condições de higiene e alimentação.

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome