SÃO JOSÉ VAI IMPLANTAR CENTRO DE REFERÊNCIA PARA ATENDIMENTO DE CRIANÇAS AUTISTAS

Como estratégia para avançar nos cuidados, atenção e comprometimento com  a educação de crianças portadoras do  transtorno do espectro autista (TEA) é um distúrbio, a Prefeitura de São José vai implantar um Centro de Estimulação e Reabilitação. O núcleo, projetado para funcionar em 120 dias, vai estender a mesma atenção aos familiares.

O local terá ações conjuntas  das secretarias  de Educação e  Saúde, para o desenvolvimento integral dos estudantes da educação especial, da rede municipal de ensino. “É um pedido do prefeito Orvino à Secretaria de Saúde e à Secretaria de Educação do Município, o de montar um centro de atendimento especializado, onde você vai fazer todo o atendimento desde o diagnóstico da criança e fazer o acompanhamento dela”, explica a secretária da Saúde,  Sinara Regina Simioni. A secretária comenta ainda que o Município possui uma fila regulada (aguardam atendimento) de neuropediatra – que conclui o diagnóstico -, em torno de 1.500 crianças.

TRABALHO CONJUNTO

Como abrangência dessa decisão, o  prefeito de São José, Orvino Coelho de Ávila, e o prefeito de Florianópolis, Topázio Neto, estiveram reunidos com outros profissionais da área para articular ampliação no atendimento às pessoas do espectro autista nos dois Municípios. Atualmente, a cidade vizinha atende em torno de 200 crianças josefenses.

O objetivo é  manter o atendimento dessas crianças para que São José entenda o fluxo e consiga agregar à rede de saúde. Atualmente, a prefeitura já possui inúmeros serviços e projetos, desenvolvidos nas áreas de Saúde, Educação e Assistência Social, voltados à pessoa com Transtorno Espectro Autista (TEA). Ainda, está em fase de licitação de um local para a reabilitação psicológica e motora dessas crianças.

SAÚDE

A equipe técnica de Saúde está elaborando um protocolo do serviço para atender a população autista. O programa contará com terapeutas ocupacionais, neuropediatras, fonoaudiólogo, fisioterapeutas, enfermeiros, psicólogos, educadores físicos e nutricionistas.

Pacientes com TEA encontram atendimento, através dos pediatras nas Unidades Básicas de Saúde, além dos profissionais psicólogos e psiquiatras que atuam na Equipe Multiprofissional de Atenção Primária a Saúde. E, de acordo com a necessidade, são encaminhados para profissionais especializados na média complexidade tais como psicólogos, neuropediatras, fonoaudiólogos, nutricionistas, nas Policlínicas do município, bem como atendimento de casos graves no CAPS i.

EDUCAÇÃO

A Educação conta com o Atendimento Educacional Especializado (AEE) para alunos da rede municipal de ensino com deficiência intelectual, visual, auditiva, Transtorno do Espectro Autista (TEA) e estudantes com altas habilidades/superdotação. Atividades lúdicas que favoreçam as habilidades cognitivas, funções executivas, a atenção, a concentração e a memorização são exemplos de atividades desenvolvidas no AEE.

São 23 polos na rede municipal de ensino para disponibilizar, no contraturno escolar, suporte às crianças e aos estudantes públicos da educação especial. No AEE, são identificadas as necessidades de cada um, elaborados e organizados recursos pedagógicos para o desenvolvimento dos alunos.

ASSISTÊNCIA SOCIAL

São realizados projetos que atendem crianças e adolescentes autistas. O recurso para realização dos projetos é proveniente do Fundo da Infância e Adolescência, gerido pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São José, que lança periodicamente editais para contemplar projetos voltados também a esse público. Já os Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) acolhem as famílias, promovem encontros para dar suporte, esclarecem dúvidas e fornecem orientações obre os direitos.

 

Parceiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome