MOTOCICLETAS COM SOCORRO MÉDICO VÃO AMPLIAR SERVIÇOS DE URGÊNCIA DO SAMU EM SANTA CATARINA

Para ampliar e agilizar um sistema de socorro médico móvel adotado recentemente para atender os serviços de emergência do SAMU em Santa Catarina, o governo do Estado autorizou a compra de dez motolâncias que serão incorporadas às frotas de ambulância nas cidades de Florianópolis e Palhoça. É uma solução para locomoção mesmo em condições de tráfego ruim nas grandes cidades e também para o difícil acesso em áreas remotas.

A decisão de intensificar os serviços móveis de saúde com motolâncias (via motos), levou como exemplos, os resultados, considerados ótimos, em Itapema e Balneário com a diminuição do tempo-resposta nos atendimentos realizados.

A experiência com o serviço deu tão certo, que o governador Jorginho Mello autorizou a aquisição de motolâncias para outros municípios. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, irá investir aproximadamente R$ 300 mil na compra das motocicletas. .

REDUÇÃO DE MORTES

“Em diversas partes do mundo, estudos mostram a redução da mortalidade tanto em eventos decorrentes de trauma quanto de causas clínicas, em decorrência do atendimento pré-hospitalar com menor tempo-resposta, e as motolâncias ajudam nesse processo”, explica Dionísio Medeiros, diretor do Atendimento Pré-hospitalar (APH) Móvel. Além disso, Dionísio ressalta que o atendimento rápido ao paciente diminui as sequelas, as complicações, o tempo de internação, assim como o custo total do tratamento.

As motolâncias estão equipadas com materiais e equipamentos de primeiros socorros, como desfibriladores, materiais para controle de hemorragias, equipamentos para suporte básico de vida e outros suprimentos médicos. As motos servem como apoio das Unidades de Suporte Básico (USB) e das de Suporte Avançado (USA).

O veículo é pilotado por um técnico de enfermagem, que realiza o socorro rápido, antes da chegada das ambulâncias. Também, caso necessário, garante o atendimento pré-hospitalar imediato no momento de maior complexidade e estabilização da vítima.

As secretarias municipais de Saúde que têm interesse em implantar as motolâncias deverão efetuar o pedido por ofício, com anuência do prefeito, para a Superintendência de Urgência e Emergência da Secretaria de Estado da Saúde, para efetivar o processo. Antes da ampliação, será realizado um estudo de viabilidade, com detalhamento técnico, para ter conhecimento se é possível ter o serviço na localidade. Além disso, vale ressaltar que os municípios deverão ter Unidade de Suporte Básico (USB) ou Unidade de Suporte Avançado (USA) ativos para a viabilização das motolâncias.

Parceiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome