HOSPITAIS PÚBLICOS DE FLORIANÓPOLIS: SALAS DE EMERGÊNCIA E AMBULATORIAL TÊM ESPAÇOS AMPLIADOS

Para melhorar e ampliar o atendimento e recepção aos pacientes que procuram hospitais públicos de Florianópolis e São José, a secretaria estadual da Saúde expediu ordens de serviço para obras de ampliação das salas de espera das emergências no Hospital Infantil Joana de Gusmão e na Maternidade Carmela Dutra. No Hospital Regional de São José serão ampliados as salas de emergência cirúrgica e ambulatorial. O valor total dos serviços contratados é de R$ 2,7 milhões. O ato de assinatura contou com a presença dos representantes da empresa, diretores e servidores dos hospitais beneficiados.

“A ordem de serviço foi assinada para que, no prazo de 60 dias, a empresa construa, de forma modular, a expansão das salas de espera do Hospital Regional de São José, da Maternidade Carmela Dutra e do Hospital Infantil Joana de Gusmão. A iniciativa teve a participação efetiva e o apoio à Secretaria de Estado da Saúde, da Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade, e visa acolher de uma forma mais agradável todos aqueles que precisam e procuram as nossas unidades hospitalares. Hoje nossos espaços são acanhados, com pouquíssimos sanitários, e essa melhoria certamente contribuirá para uma assistência de maior qualidade por parte de nossas equipes saúde”, afirma a secretária Carmen Zanotto.

No Hospital Infantil Joana de Gusmão, a área ampliada será de cerca de 108 metros quadrados (m²), enquanto na Maternidade Carmela Dutra será de aproximadamente 105 m². As emergências cirúrgicas e ambulatoriais do Regional de São José ganharão um espaço adicional de 216 m². Todas essas unidades contarão com salas de espera, fraldários, e banheiros masculinos, femininos e para pessoas com deficiência.

Para o superintendente dos Hospitais Públicos Estaduais, Roberto Henrique Benedetti, as obras são uma resposta para o ritmo de crescimento da sociedade. “De fato, a ampliação se faz necessária devido à falta de aumento dessas áreas hospitalares nos últimos anos, ao passo que nós tivemos um incremento da população em Santa Catarina bastante expressivo nos últimos dez anos. Esses novos espaços têm como objetivo proporcionar um atendimento mais eficaz aos nossos pacientes”, destaca.

O projeto estabelece o uso de um sistema construtivo modular pré-fabricado, com a instalação de módulos industriais que serão projetados e montados no local. Fernanda Menezes, arquiteta e urbanista que atua na Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade (SIE), explicou que um projeto básico orientou a contratação pública, sendo que o sistema construtivo proposto minimiza a necessidade de intervenção no local, dispensando a criação de um canteiro de obras convencional e reduzindo o tempo da obra.

“No geral, a implementação de estruturas modulares pré-fabricadas e industrializadas é uma solução eficaz para a ampliação das salas de espera em emergências hospitalares. Ela atende aos requisitos de tempo, custo, qualidade e sustentabilidade, que são cruciais em um ambiente hospitalar”, detalha a arquiteta.

 

Parceiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome