SÃO JOSÉ: CASAN ADMITE ATRASO NO PRAZO DE CONCLUSÃO DA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO

A conclusão das obras da Estação de Tratamento de Esgoto do bairro Potecas de São José, considerado o maior projeto de saneamento do Estado, pela situação financeira atual da Casan, não poderá ser cumprida em 2024 conforme o compromisso estabelecido pela empresa junto à prefeitura Municipal. As informações foram endereçadas hoje ao prefeito Orvino Coelho de Ávila pelo novo presidente da Casan, Edson Moritz Martins da Silva. Entretanto, o presidente da Casan informou ao prefeito que, nesta sexta feira, vai se reunir com o governador Jorginho Mello para encaminhar a situação financeira da empresa em relação à estação de São José, bem como de outros dois projetos em andamento nas cidades de Chapecó e Criciúma.

O prefeito Orvino Coelho de Ávila, ao cobrar o cumprimento do prazo de conclusão do projeto, lembrou que a “nossa população não aguenta mais o descaso que a Casan tem com São José, além da dívida histórica com a cidade. Vamos cobrar que a empresa cumpra com o combinado”.

A nova ETE terá capacidade de vazão média, na primeira etapa, de 600 L/s, cerca de 42% a mais do que a capacidade atual. A obra vai permitir a desativação das lagoas de estabilização, levando mais qualidade de vida para a população. O investimento é de R$ 250 milhões.

“Já marcamos uma nova reunião para dia 14 de setembro, depois que as nossas reivindicações forem encaminhadas novamente ao governador. Esperamos poder assinar os convênios e os contratos para que as coisas melhorem. Mas se tiver que tomar uma posição extrema, eu já disse ao presidente da Casan, reitero e reafirmo que vou tomar”, afirmou o prefeito.

Em julho 2022, o prefeito já tinha avaliado romper o contrato com a Casan. “A entidade tem um débito com o Município enorme e espero que a obra vá para frente”, completou Orvino.

OUTRAS COBRANÇAS

Por sua vez, o secretário de Infraestrutura de São José, Nardi Arruda, também cobrou outros compromissos da Casan que não estão sendo cumpridos como a identificação prévia à prefeitura da agenda de serviços que os veículos da Casan cumprem na manutenção da rede de saneamento. O secretário  destacou ainda que 42% dos buracos em São José foram provocados por obras da Casan. E os recursos repassados são insuficientes para reparar os danos. “Estamos solicitando que esse valor seja ampliado para no mínimo o dobro do recebido atualmente”.

 

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome