TRANSTORNO DO AUTISMO: SÃO JOSÉ INAUGURA CENTRO DE SAÚDE PARA CRIANÇAS

Para atender e cuidar de crianças com diagnóstico ou suspeita de Transtorno do Espectro Autista,TEA, o prefeito de São José, Orvino Coelho de Ávila, inaugura amanhã, às 9 horas, no bairro Praia Comprida, o Centro de Estimulação e Reabilitação, instalado no mesmo prédio do setor de Educação Especial. A doença causa dificuldades na comunicação, no convívio social e comportamentos repetitivos. A unidade, com capacidade para atender, por mês, 90 crianças de zero a seis anos incompletos, é formada por profissionais de diversas áreas, como terapeutas ocupacionais, de neuropediatria, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, enfermeiros, psicólogos, educadores físicos, psicopedagogos, assistentes sociais e nutricionistas.

Os atendimentos serão encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde, realizando ações voltadas para o desenvolvimento de habilidades singulares no âmbito do projeto terapêutico, particularmente voltadas à cognição, linguagem e sociabilidade, além de orientação aos genitores e cuidadores em relação à continuidade de tratamento e atendimento em rede. Atualmente mais de 600 crianças menores de 6 anos possuem diagnóstico, em São José.

Composto por duas salas de atividade coletiva, nove salas de atendimento individualizado ou coletivo para pequenos grupos, assim como sala de coordenador e sala de reunião, apresentando um investimento mensal de R$ 540 mil. Com essa iniciativa, São José reafirma seu compromisso em proporcionar um atendimento de qualidade para crianças com TEA.

CRIANÇAS ACIMA DE 6 ANOS

A secretaria Municipal da Saúde, está em processo de elaboração de edital de credenciamento para entidades que tenham capacidade para amparar e dar sequência ao tratamento de crianças maiores de 6 anos.

Assim, pacientes com demandas de TEA, encontram atendimento na atenção primária à saúde, com pediatras nas Unidades Básicas de Saúde e psiquiatria, psicologia, fonoaudiologia com a Equipe Multiprofissional de Apoio, além de profissionais especializados como fonoaudiólogos e psicólogos, nas policlínicas.

Casos graves no Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPS i), além de atendimentos com equipe multiprofissional na Secretaria Estadual, na Fundação Catarinense de Educação Especial (FCCE) e Serviço de Reabilitação Intelectual e Autismo (RIA-CCR), na qual necessita de encaminhamento através do sistema de Regulação, após avaliação prévia dos profissionais da Rede de Saúde.

EDUCAÇÃO ESPECIAL

No mesmo prédio do Centro, já funciona o setor de Educação Especial, demonstrando a parceria entre as secretarias municipais de Saúde e de Educação. Com uma equipe multidisciplinar composta por profissionais de pedagogia, psicologia, fonoaudiologia e revisor Braille, o Setor de Educação Especial realiza assessoria nas unidades educacionais da rede municipal de ensino para favorecer o atendimento educacional aos estudantes público da educação especial.

Atualmente, são 1.152 crianças e estudantes público da educação especial matriculados na rede municipal, sendo que 90% apresentam TEA.

O Setor de Educação Especial também é responsável pelo gerenciamento dos 25 Polos de Atendimento Educacional Especializado (AEE), distribuídos nas unidades de ensino da rede municipal, e conta ainda com o serviço do Centro de Apoio Pedagógico (CAP), que produz livros didáticos nos formatos acessíveis Braille e ampliados, bem como materiais adaptados e em relevo para as crianças com baixa visão e cegas, estudantes da rede municipal de ensino.

Importante destacar que o fluxo do atendimento em educação especial inicia na unidade de ensino. A partir da apresentação da documentação com laudo/diagnóstico de deficiência da criança, a unidade de ensino informa e encaminha ao Setor de Educação Especial as solicitações pertinentes (inserção no AEE, contratação do profissional auxiliar de ensino – educação especial e/ou orientações).

 

 

 

 

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome