TRAGÉDIA EM BLUMENAU: GOVERNO INTENSIFICA MOBILIZAÇÃO DA SEGURANÇA PARA ATACAR CRIMES NAS ESCOLAS

Desde a manhã, quando soube dos crimes, o governador Jorginho Mello permaneceu em Blumenau.

A área de segurança do  governo do Estado vai intensificar as ações, principalmente de inteligência, do  grupo especial de trabalho formado na semana passada pelas polícias Civil, Científica, e Militar, Corpo de Bombeiros Militar, secretarias de Assistência Social, da Saúde e da Educação para estabelecer operações de  atuação preventiva, com análise das estruturas escolares, para garantir mais segurança no ambiente escolar e também como atuar em situações como a tragédia ocorrida hoje em Blumenau, foi o que disse, em entrevista coletiva, agora de trade na cidade, o delegado geral da Polícia Civil, Ulisses Gabriel.

Outro fato destacado pelo delegado-geral é o uso da inteligência policial para intensificar as ações preventivas e de monitoramento da web. Ele ressaltou que esta já é uma prática da PCSC que constantemente faz operações policiais na casa dos indivíduos que disseminam ameaças. Ulisses Gabriel destacou também que o governador Jorginho Mello vai autorizar investimentos na área de tecnologia para ampliar os serviços de monitoramento e também vai analisar a situação da contratação de novos policiais civis por meio de concurso.

O governador Jorginho Mello, que estava em Florianópolis quando recebeu as informações dos crimes  na creche que resultaram na morte de quatro crianças, se deslocou para Blumenau assim que foi informado sobre o ataque a uma creche que resultou na morte de quatro crianças, duas de 4 anos, uma de 5 e uma de 7 anos e deixando feridas outros três menores. Também, o governador assinou e emitiu emitiu uma nota oficial registrando que  “É um momento de muita dor para Santa Catarina, para o Brasil. Suspendemos as aulas da rede estadual no município hoje e amanhã, agora estamos aqui para prestar solidariedade, estamos em um momento triste para a sociedade. Todas as nossas forças de segurança estão em Blumenau, pedimos calma, cuidado com as informações na rede social. É momento de entender, agir, colocar a cabeça para funcionar. Só quem passa por uma dor dessa pode saber o tamanho dessa tragédia.”

Outras vítimas do atentado foram atendidas pelo Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina e encaminhadas aos hospitais Santo Antônio e Santa Isabel e estão sendo acompanhadas. São cinco crianças que se encontram em situação estável e sem risco de morte. O autor dos fatos se entregou na guarda do 10º Batalhão de Polícia Militar (BPM), sendo preso e encaminhado à delegacia de Polícia Civil para providências. O fato trata-se de um caso isolado e está sob investigação.

AULAS SUSPENSAS

O Governo do Estado cancelou hoje e amanhã, as aulas da rede estadual na cidade de Blumenau e declarou luto oficial de três dias pelo assassinato das quatro crianças que estavam na creche Cantinho Bom Pastor.

“A educação catarinense e brasileira está em luto e neste momento nos solidarizamos com todas as famílias e a comunidade em geral. Por ordem do governador, determinamos cuidado e prevenção nas escolas e estamos em diálogo com outras entidades para aumentar a segurança nas escolas. Entendemos que o trabalho em regime de colaboração também é importante para a segurança”, afirmou Patrícia Lueders, secretária adjunta de Estado da Educação.

Atuando em conjunto com o município, os gestores das unidades escolares de Blumenau participarão de reunião com a prefeitura na quinta-feira, 6, sobre o andamento do retorno às aulas na cidade, na próxima segunda-feira.
Coletiva de imprensa

POLICIAIS TREINADO

O comandante-geral da PMSC, coronel Aurélio Pelozato da Rosa, afirmou que o ocorrido na data de hoje se trata de um caso isolado. O comandante-geral relatou que recentemente foram realizados treinamentos com professores da região e no estado, com técnicas para estarem preparados para circunstâncias parecidas com a desta quarta. Além disso, providências serão tomadas para que a Segurança nas escolas seja intensificada. “Estamos realizando uma mudança na rotina dos instrutores do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) para que as aulas sejam feitas no primeiro turno escolar e, assim, o policial permanecer no local depois até o fim do turno escolar”, completou.

A perita-geral da Polícia Científica, Andressa Boer Fronza, destaca que foi efetuada a coleta e análise dos vestígios com o objetivo de materializar os fatos e compreender a dinâmica do crime. Também foram iniciados os exames necroscópicos e a identificação das vítimas no Setor de Medicina Legal da PCI.

O perito-superintendente regional em Blumenau, Tiago Lucheta, mobilizou todo o efetivo da unidade em torno do caso. Na sequência, foram iniciadas as análises e exames periciais complementares que subsidiarão as investigações da Polícia Civil. Os trabalhos contam ainda com o apoio da Superintendência da PCI em Joinville, que atua na análise e extração de dados de um dispositivo celular apreendido, assim como do setor de Inteligência do órgão pericial, que trabalha de forma integrada à Inteligência da Polícia Civil.

Também participaram da coletiva o prefeito de Blumenau, Mario Hildebrandt, a secretária adjunta de Estado da Educação, Patrícia Lueders, delegados da Divisão de Investigação Criminal de Blumenau, Rodrigo Raitez e Ronnie Esteves e o comandante do 3º Batalhão de Bombeiros Militares de SC, Diogo de Souza Clarindo.

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome