FLORIANÓPOLIS: SAÚDE DA FAMÍLIA TAMBÉM OFERECE OPORTUNIDADES DE ALFABETIZAÇÃO

O Programa Saúde da Família, da Prefeitura de Florianópolis vem adotando duas iniciativas, uma delas inovadora, quando o paciente vai ao posto de saúde do bairro Agronômica: o atendimento médico de rotina mas, por outro lado, de orientação educacional. É quando o serviço de assistência social conversando com a pessoa identifica que ela não possui escolaridade, sendo então encaminhada com atestado de matrícula para o EJA, Educação de Jovens, Adultos e Idosos. Nesses trabalhos estão a médica Mayara Floss e a assistente social Bia Cruz Freitas que compõe a equipe multiprofissional do Centro de Saúde.

As pessoas, a partir de 15 anos, se assim desejarem, são encaminhadas para o Polo da EJA na Associação Florianopolitana de Deficientes Físicos (Aflodef), no bairro Agronômica. Do total de 19 estudantes, três deles passaram pelo Programa da Família. Lá eles têm aulas no período da tarde. O Polo que fica na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), no Itacorubi, com atividades à noite, possui 15 matriculados. Desses, três foram encaminhados pelo setor de saúde.

Para a sede da modalidade de ensino, no Centro de Educação Continuada (CEC) da SME, com aulas nos três períodos, também são enviados pacientes. No CEC, de 37 pessoas, cinco antes tiveram consultas médicas.

Outra opção, igualmente noturna, para quem passar pelo programa Saúde da Família será o polo da Escola Básica Municipal Osvaldo Galupo, no Morro do Horácio. Em breve, será reaberta uma turma nessa localidade. Graças à parceria entre as secretarias de Saúde e Educação, há estudantes que agora já estão em outro patamar, cursando o ensino médio.

 

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome