VIROSE NAS PRAIAS: SAÚDE MONITORA E ANALISA SITUAÇÃO EM DEZ BALNEÁRIOS DE SC

Devido ao aumento registrado no número de casos de doenças diarreicas agudas detectado nos municípios litorâneos do estado, as equipes técnicas das diretorias de Vigilância Epidemiológica e Sanitária e do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), da Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com os municípios, iniciaram o trabalho de análise das amostras de água de rios e do mar.

A primeira amostra recebida, do Balneário de Piçarras, já está em análise laboratorial. O processo começa pela coleta do material pela vigilância sanitária municipal, que é encaminhado ao laboratório, passa pelo processamento da amostra, finalizando com a análise de resultados. A testagem é feita para quatro vírus: Hepatite A, rotavírus, norovírus e adenovírus.

Além do município de Piçarras, outros nove também irão encaminhar amostras para análise, sendo eles: Barra Velha, Penha, Navegantes, Porto Belo, Balneário Camboriú, Itapema, Bombinhas, Governador Celso Ramos e Florianópolis. Inicialmente as coletas serão feitas até 31 de janeiro, por meio de cronograma acordado entre a SES e os municípios.

Segundo a farmacêutica do Lacen, Marlei Debiasi, diversos testes estão sendo feitos, incluindo análise de água e amostra de fezes de pacientes. “Neste momento iniciamos uma nova etapa que é análise de água, mas para determinar a causa desse aumento nos casos é fundamental que as vigilâncias municipais estejam sensíveis aos problema e realizem as coletas e encaminhem aqui ao Laboratório”, explica.

Além da análise de água, o Lacen também tem recebido amostras de pacientes. Foram recolhidas 34 amostras até o momento. Sendo que 20 destas são de cidades litorâneas, um número considerado baixo para o volume de casos registrados.

O superintendente de Vigilância em Saúde, Fábio Gaudenzi, explica as principais causas das doenças diarréicas detectadas nessa época do ano. “É importante entender que essas doenças podem ter vários agentes, com diversas formas de transmissão, desde a ingestão de água e alimentos contaminados, como o contato com outras pessoas doentes. Mas as formas de se proteger são simples: cuidado redobrado com a qualidade, procedência e conservação da água e dos alimentos, buscar sempre locais balneáveis para realizar as atividades de lazer e manter a higienização frequente das mãos”, complementa.
Doenças diarreicas agudas

Detectadas principalmente nas épocas de temperatura mais altas do ano, seja pela dificuldade de conservação de alimentos, seja pela grande concentração populacional nas cidades de praia, as doenças diarreicas agudas (DDA) podem ser causadas por diferentes agentes como vírus, bactérias, fungos, sendo os mais comuns o rotavírus e o norovírus e a bactéria Escherichia coli.

Apesar de casos serem geralmente leves, os grupos de maior risco como crianças e idosos podem ter sintomas agravados, principalmente a desidratação.

HIGIENE E CUIDADOS

Lavar as mãos com frequência ou usar álcool em gel, especialmente antes e depois de utilizar o banheiro, trocar fraldas, manipular e preparar alimentos, amamentar e tocar em animais;
Beber bastante água desde que seja filtrada, tratada ou fervida. Não consumir água sem saber a procedência;
Não utilizar gelo de procedência desconhecida;
Não consumir alimentos fora do prazo de validade, mesmo com boa aparência;
Alimentos deteriorados, com aroma, cor ou sabor alterados, não devem ser consumidos;
Não consumir alimentos em conserva se as embalagens estiverem estufadas ou amassadas;
Evitar o consumo de alimentos crus ou mal cozidos, principalmente carnes, pescados e mariscos, ou de procedência desconhecida;
Embalar adequadamente os alimentos antes de colocá-los na geladeira;
Não tomar banho em águas de praias impróprias/poluídas;
Higienizar frutas, legumes e verduras com solução de hipoclorito a 2,5% (diluir uma colher de sopa de água sanitária para um litro de água por 15 minutos, lavando em
água corrente em seguida para retirar resíduos);
Lavar e desinfetar superfícies e utensílios usados na preparação de alimentos

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome