BIENAL DO LIVRO: SÃO JOSÉ SE TRANSFORMA NA CAPITAL DA LITERATURA BRASILEIRA

A 1a. Bienal do Livro de São José está montada na arena principal do Centro Multiuso

Durante cinco dias, a partir de amanhã, a cidade de São José vai se transformar na capital da literatura brasileira com a inauguração da 1a. Bienal do Livro, tendo como palco o teatro do Centro Multiuso. Uma programação ampla cultural e literária vai revitalizar também as comemorações da Semana da  Independência.

Até o dia 11, o público terá contato com editoras, escritores, podendo participar de saraus literários, oficinas de escrita, literatura e inclusive origami, as dobraduras de origem japonesa. No palco, atrações musicais também não vão faltar. Confira a programação completa no link:https://saojose.sc.gov.br/wp-content/uploads/2022/09/PROGRAMACAO-BIENAL-DO-LIVRO-DE-SAO-JOSE-2022.docx.pdf

A semana começou agitada com a montagem dos estandes e salas. Hoje, em ritmo acelerado nas instalações da arena, as editoras, escritores e organizadores acertaram os espaços em que vão divulgar os trabalhos e fomentar o gosto da leitura nos quatro dias em que  São José será a capital catarinense da literatura.

A abertura oficial da Bienal está programada para às 10 horas de amanhã, feriado da Independência. Na sequência às 10h30 min, haverá apresentação do Coral do CATI (Centro de Atenção à Terceira Idade) . Consolidado há sete anos, além de atuar no Município, o coral também faz apresentações na grande Florianópolis, desde 2015. O repertório é bastante eclético, pois inclui diversos estilos musicais, como músicas populares, sertanejas, folclóricas, religiosas e hinos. Atualmente o coral é composto por 30 integrantes.

Também o Coral Acordes da Ilha do Instituto Estadual de Educação (IEE) estará levando arte na Bienal. O grupo se apresenta às 13 horas. No período da tarde, a programação é eclética, com destaque para o lançamento da Campanha Nacional #Sou Biblioteca Escolar, de autoria da Associação Catarinense de Bibliotecários e Conselho Regional de Biblioteconomia.

OBRA DE ABERTURA

A primeira obra a abrir o ciclo de lançamento será o “O menino que se escondia”, de autoria de Mariana Hadlich de Souza. Para quem quer afinar a veia literária, uma boa dica é participar da Oficina da Escrita Criativa, comandada por Carlo Manfroi, redator premiado, publicitário, diretor de criação, escritor e professor. Serão ofertadas de 15 a 20 vagas. Não há um pré-requisito para participar da oficina, os participantes vão utilizar apenas papel e caneta. Carlo Manfroi é autor da obra “A Filha Down em Alto Astral”.

O escritor espera que a 1 ª Bienal possa reunir pessoas com diversas bagagens para a oficina de escrita criativa. “Acho interessante a iniciativa da Bienal; sou um fã dos livros, traz oportunidade de aprendizado. Espero que a oficina possa promover essas transformações, mostrar outras visões de mundo, discussões positivas. Nas oficinas sempre temos surpresas, as turmas são um presente, aprendemos muito com elas, são pessoas diversificadas, nos fazem sair da zona de conforto. Espero que tenham interesse em participar e enriquecer a oficina”, pontua.

Uma das atrações mais aguardadas do primeiro dia da programação é o escritor paulista, Maurício Pestana, considerado o cartunista negro de maior sucesso na história do Brasil. Pestana é autor de 60 livros, entre eles a “Empresa Antirracista”. São obras que retratam direitos humanos e a luta contra o racismo. Pestana ministra palestra às 19 horas tratando do livro “Empresa Antirracista” mostra o movimento que as corporações estão fazendo em 30 anos para incluir a diversidade racial. Conta com uma análise inicial de Maurício sobre o processo inclusivo e depois segue com a entrevista de 20 empresários, entre eles, Luiza Trajano da Empresa Magazine Luiza.

 

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome