ALERTA: TRABALHO ESCRAVO NO BRASIL ENVOLVE CRIANÇAS ENTRE 7 E 14 ANOS

Reforçando que a informação é uma ferramenta fundamental para que as pessoas entendam como o trabalho infantil acontece e os prejuízos que ele causa nas crianças, paralelamente, ao Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, a ser comemorado no domingo, Prefeitura de Palhoça, lembra que uma pesquisa divulgada neste ano, com dados da Organização Internacional do Trabalho, apontou que em todo o Brasil aproximadamente 19,15% das crianças entre 7 e 14 anos realizam algum tipo de trabalho, o que totaliza cerca de 5,7 milhões de crianças. Durante a pandemia, a situação do trabalho infantil se agravou, já que as dificuldades econômicas enfrentadas por muitas famílias contribuíram para aumentar o número de crianças que desenvolvem algum tipo de atividade laboral.

A secretaria de Assistência Social de Palhoça, destaca que, de forma geral,  o trabalho infantil acontece nas ruas, em situações que envolvem desde a venda de produtos até o comércio de entorpecentes; nas empresas, quando a mão de obra infantil é explorada no mercado de trabalho; no campo, em atividades que muitas vezes resultam na intoxicação pelo uso de agrotóxicos; e também em casa, quando as crianças assumem tarefas domésticas além de suas capacidades.

O trabalho infantil quase sempre afasta as crianças da escola e da oportunidade de conviver com amigos e colegas. Mesmo que a criança que trabalha se esforce ao máximo para estudar, sem dúvida o seu aprendizado é impactado e, muitas vezes, a repetição de ano é uma realidade.

Além dos reflexos no presente, o trabalho infantil também impacta o futuro das crianças. Sem estudo e sem educação, o desenvolvimento pessoal acaba afetado e a possibilidade de encontrar uma boa oportunidade de emprego fica bem mais difícil. De acordo com a ONU – Organização das Nações Unidas são garantidos às crianças diretos a educação, lazer e esporte e a realização de uma atividade laboral impede o exercício pleno desses direitos.

Se você conhece alguma criança vítima de trabalho infantil, existem diversos canais para contatar as autoridades responsáveis. É possível ligar ou enviar mensagem via WhatsApp para a Equipe de Abordagem Social pelo número (48) 3220-0423 ou entrar em contato com o Conselho Tutelar Semar pelo número (48)3220-0428 ou ainda com o Conselho Tutelar Proteção pelo número (48) 3220-0402.

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome